MILAGRES


( promessas eleitoreiras)
Uma grande organização para obter sucesso tem que investir em muitas frentes. Na estratégia corporativa consideramos quatro: Negócios (mercado), Resultados(finanças), Processos (com tecnologia) e Pessoas. As empresas constroem suas estratégias focando nessas direções para depois definir seus planos, projetos, metas e indicadores quantitativos para serem mensurados e monitorados. É assim que se faz nas maiores organizações do Universo, no mundo ocidental e oriental. Acionistas colocam capital em um negócio visando recupera-lo e multiplicá-lo. Para tanto contratam a inteligência humana e investem expressivamente em tecnologia e otimização dos seus processos. Com determinação, acompanham o desdobramento das suas estratégias e com inteligência geram planos de ação corretivos sempre por inadequação ou mudança de cenários. Podemos certamente comparar a engrenagem de uma empresa com a de um governo e apostar nas mesmas direções e estratégias.  Portanto o resultado só aparece quando todas as frentes estão interligadas. Exemplificando, os maiores desafios atuais apontado pelos eleitores são:  saúde, segurança e educação.  Todos estão interligados por uma variável que é a gestão dos seus recursos. Se tivermos um país ajustado em seu resultado fiscal os investidores vão querer apostar o seu dinheiro no Brasil. Isto feito, poderemos crescer em emprego e renda, gerando mais volume de receita para o governo através dos impostos. Portanto crescem as equivalentes variáveis produto, renda e despesa nacional. Concluindo, não adianta os candidatos de plantão apresentarem fórmulas milagrosas para resolver nossos problemas nacionais sem interligar as quatro pontas (resultados negócios, processos/tecnologia e pessoas) através de um sistema de gestão eficaz. Não é salutar acreditar em mágicos e milagres. Muitos vivem da fé, mas ela deve estar relacionada a um esforço e a uma dedicação correlacionados com a sua crença. Assim fazem as grandes corporações em suas estratégias de negócio. Será que o que é bom para o setor privado não seria também para o segmento público? Muito boa a iniciativa da imprensa no sentido de acompanhar e checar as promessas eleitoreiras dos candidatos a presidência. É uma contribuição positiva ao sistema eleitoral e estimulo aos candidatos pensarem antes de falar e fazer discursos. 
Fonte:https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/08/23/uol-vai-checar-viabilidade-de-promessas-dos-candidatos-a-presidencia.htm


JOÃO TEIXEIRA DE AZEVEDO NETO



Comentários

Popular Posts

REVISÃO DO FGTS - INPC X TR ( PERÍODO DE 1999 A 2013)

COMO CORRIGIR O PASSADO - A VIDA TODA

PECULIO INSS