REINVENTAR

( A nossa educação)




Acordamos coma a notícia de que a Coca Cola comprou a rede Costa por 5 bilhões de dólares. Pela primeira vez lança-se no varejo para concorrer com a rede  "Starbucks" e "Macdonalds", que é inclusive um dos seus maiores clientes. O que mais vemos no mundo, e também no brasil em menor escala, são empresas se reinventando  para poderem sobreviver em negócios cada vez mais competitivos.  Empresas de "private equity" investem milhões para descobrir e administrar negócios que possam se tornar altamente rentáveis para administração  ou venda futura. 
Vemos também que no Brasil 70% dos nossos jovens do nível médio não dominam o português e a matemática, segundo últimos relatórios da SAEB, em seu nível mais baixo de compreensão e raciocínio.  Isto sem falar no mundo digital onde apenas 12% da população brasileira acessa computadores e somente 8% estão conectados à internet. Portanto antes da exclusão digital temos um problema maior que é a exclusão social. Vemos candidatos presidenciais falando sobre possibilidades mágicas de transformação para o Brasil. Sem dúvida nosso maior desafio é a educação. Foi investindo nela que os países asiáticos (que tinha PIB'S menores do que o Brasil na década de 70 ) encontram-se hoje em situação econômica e social  muito mais confortável que a nossa. Enquanto não tivermos a capacidade de transformar problemas em soluções, com uma visão estratégica adequada, da mesma forma como fazem as empresas no Brasil e no mundo, continuaremos a frequentar o final da lista dos países com resultados  econômicos e sociais positivos.  Simples de entender mas complexo de fazer : A gestão pública do Brasil precisaria ser profissional(como as empresas) para olhar com antecedência o futuro e mudar o seu rumo com velocidade e inteligência? Estamos perto ou longe disto acontecer? Você responde. 



JOÃO TEIXEIRA DE AZEVEDO NETO

Comentários

Popular Posts

REVISÃO DO FGTS - INPC X TR ( PERÍODO DE 1999 A 2013)

COMO CORRIGIR O PASSADO - A VIDA TODA

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO - APOSENTADO INSS - aumento de margem 40%